Artigos

Deslocamentos e suas vibrações

Vânia Elisabeth Selzlein Sommermeyer

Resumo:
O texto traz três relatos que envolvem memória, deslocamentos e percursos, vividos no cotidiano das cidades de Novo Hamburgo e Porto Alegre. Aborda o fato de que tais experiências, advindas do acaso, ou em proposições com estratégias definidas, podem ser analisadas desde sua origem como evento até o desdobramento no processo artístico que segue. Os fragmentos coletados, os textos, os mapas e as imagens advindos destas experiências são tratados pela artista como pele, membrana, superfície de um mundo quase invisível. Nos deslocamentos são valorizadas não apenas as relações com o olhar, mas com o corpo e a mente, numa abordagem sempre em expansão, aberta para o desconhecido. Traz, ainda, artistas que se utilizam dessas mesmas estratégias e que igualmente valorizam os espaços abertos e urbanos, além de dispensarem atenção sobre os materiais rejeitados pela sociedade.

Palavras-chave: Deslocamentos, Momentos, Vivência, Processo, Membranas.


Abstract:
This text brings three reports that involve memories, movements and routes of daily life in the cities of Novo Ham- burgo and Porto Alegre. The text considers the fact that such experiences, happened randomly or in propositions with defined strategies, can be analyzed from its origin as event up to its development in the artistic process the texts follows. The collected fragments, texts, maps and images resulting from these experiences are treated by the artist as skin, mem- brane, surface of an almost invisible world. In the movement process it is valued not only the connections with looking but also with body and mind, in a constant expanding approach, open to the unknown. The text also presents artists who use these same strategies, and who also value urban opens spaces, giving attention to materials rejected by society.

 

KEYWORDS: Movement, Vibrations, Life experience, Process, Membranes

Resumo:

Este texto apresenta um trabalho artístico próprio, “Quantos Sonhos Cabem Numa Capelinha de Melão?”, da série Ludus Primus, premiado no Rio Grande do Sul/ Brasil, datado de 1995 / 96 e agora revisitado por mim. Usando a terceira pessoa para apresentá-lo pretendo uma análise crítica e emocionalmente distante. Também pretendo desvelar os possíveis significados desse objeto de arte/ bricolagem. Então, de acordo com a poética pessoal usada para construir meus trabalhos, essas observações são sobre como fazer arte depois de já tê-la feito. Observações feitas noutro tempo, um tempo diferente de percepção sensorial do objeto, longe do tempo exato de sua fatura. Na verdade, essas observações são um pequeno resumo para introduzir algumas questões e problemas da arte contemporânea, seus processos de criação, interpretações, circulação e consagração; além disso proponho um diálogo entre artistas, estudantes, artistas estudantes, estudiosos e, por que não, conhecedores especializados de arte. Pois entendo que tão bricoleur quanto cientista ou filósofo, o artista visual contemporâneo é um profissional que constrói realidades, imagens e mundos- sonhados das cidades.


Palavras-chave: Deslocamentos, Momentos, Vivência, Processo, Membranas.


Abstract:


This This paper presents my own artistic works, “Quantos Sonhos Cabem Numa Capelinha de Melão?” of  he Ludus Primus series, prized in Rio Grande do Sul/ Brazil, dated from 1995 / 96 and now revisited by me. Using third person to write-up it, intend to be critic and emotionally distant analyses. Intend bring out the possible meanings of this art object/ bricolage, too. According with my personal poetic used to building my works, these notes are how to do art about after made it yet. Notes made on another time, a different time objects sensory perception, far from exact time of done it. Actually these notes are a little brief to introduce some problems and issues about contemporary art, its processes of creation, interpretations, circulation and consecration; also propose a dialogue between artists, students, students artists, scholars and, why not, art connoisseurs. Because I think as bricoleur as scientist or philosopher the contemporary visual artist is a professional that makes realities, images and dreamedworlds society.

 

KEYWORDS: brasilian contemporary art; artistic production; visual poetic; bricolage.

Panorama Crítico Editora e Comércio de Publicações Ltda. CNPJ 10.582.737/0001-13 - Brasil

  • whatsapp-logo
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • icons8-issuu-50